INVOLUÇÃO E EVOLUÇÃO

Os escritos de Wilber são evolucionários do início ao fim. A metáfora que melhor encaixa suas idéias é o modelo da escada (embora nos últimos anos ele tenha aperfeiçoado suas visões tanto que, atualmente, prefere a metáfora do rio).

De acordo com Wilber, a evolução tem um componente interior que não é facilmente descoberto pela ciência convencional. A ciência estuda as formas exteriores da vida e conclui que a evolução é basicamente uma questão de complexidade física. Mas a filosofia esotérica acrescenta uma dimensão interior: a evolução é também uma questão de aumento de profundidade e qualidade. Isso pode ser ilustrado graficamente no diagrama abaixo:

Intuição          
Mente          
Emoções          
Vitalidade          
Matéria          
  minerais plantas animais humanos místicos

Essencialmente todos os princípios de desenvolvimento que Wilber descreve podem ser ilustrados por esse diagrama dos reinos da natureza. As plantas transcendem os minerais, assim como os animais transcendem as plantas, os humanos transcendem os animais e os místicos transcendem os humanos. Mas as plantas também incluem os minerais (elas têm um corpo físico), assim como os animais incluem as plantas ("vitalidade"), assim como os humanos incluem os animais (têm sentimento), e os místicos incluem os humanos (têm senso crítico).

Não há nada sobre esse diagrama que sugere a idéia de opressão ou desvalorização, como aqueles que se opõem à idéia de desenvolvimento hierárquico geralmente pensam; é simplesmente a forma que a Natureza funciona.

Na verdade, essa é uma visão inspiradora do desenvolvimento da vida e da mente. Entretanto, como a mente PODE reprimir as emoções, os humanos podem também abusar dos animais e da natureza em geral. Esse é um infeliz problema que deveria ser evitado a todo custo, embora a compreensão sobre o mecanismo da evolução não pode ser abandonada. Em doutrinas menos conhecidas da filosofia de Wilber está a idéia da involução. Nessa visão, estágios elevados podem ocorrer APÓS estágios mais básicos, mas isso não significa que são totalmente CAUSADOS por eles. Isto não é nada senão o materialismo. A filosofia esotérica afirma que quando a involução precede a evolução, o movimento inverso do espírito para a matéria. Sem a involução, a evolução é um processo instável de novas realidades "emergentes" constantes; com a involução, é um processo compreensível do grande movimento da Vida.

Na visão esotérica, o Espírito se manifesta na matéria e agrega todas as camadas de corpos "físicos" – isso foi muito bem elaborado no Neoplatonismo -- até alcançar o nadir da existência no plano material. A partir desse momento, o Espírito se move para cima novamente, transcendendo todas as camadas, até retornar ao seu ponto de partida no Divino. Essa grande visão efetivamente contraria a visão popular de que nós perdemos o Espírito em algum ponto nos primeiros anos de nossas vidas, quando nos tornamos adultos racionais. Esse romantismo é um exemplo da falácia pré-trans.



Back to the Core Concepts page.


Traduzido por Priscila e Moacyr Castellani
www.metacoaching.com.br